quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Paço Branco


Domingo passado foi a minha primeira oportunidade para participar, ao vivo, no passeio anual do Clube do Paço Branco. Ja tinha ouvido falar nele e valeu a pena fazer os 300 kms que separam a capital do betão de Conceição de Faro mais outro tanto de volta, para o sentir ao vivo. O percurso era simpático mas pequeno e uma boa parte dele no meio de zonas urbanas ou semi-urbanas, mas as motos participantes, a organização, e o ambiente, eram de se tirar o chapéu. E como aquela gente de Conceição, e outros lugares algarvios e não só, vive isto das clássicas. Acho que nunca estive num passeio destes em que houvesse tantas motorizadas do antigamente tão bem restauradas. E que variedade. Desde ciclomotores dos anos 50, e uma boa mão cheia deles, a motorizadas dos anos 60, 70 e 80. Não imaginava que no Algarve se vivesse tanto este mundo das antigas. Desde coisas mais comuns como Casais, Faméis, e Sachs a outras menos conhecidas como Anseves, Tansinis, e Teivos (???), que maravilha. E como se isto não bastasse, ainda tive a oportunidade de fazer o percurso, ou parte dele pois um furo no "sapato" fez-me acabar o passeio no carro-vasoura, num ciclomotor de carne e osso, uma Casal de 1961, com motor Zundapp. Travões quase não tinha e meter as mudanças era um pouco uma lotaria, mas que prazer, que sensação. Aqueles gajos do antigamente sabiam fazer motorizadas!

Sem comentários:

Publicar um comentário