domingo, 18 de setembro de 2011

De autocarro para cima, e de KTM para baixo


Lisboa de nascimento, alentejano do coração e sócio ferveroso do Moto Clube de Almodovar por paixão, César Campos era, até à pouco tempo atrás, daqueles apaixonados por motos que ligava pouco ou nada a clássicas. O mundo das duas rodas para ele era só motos modernas e entre as máquinas que tinha, e ainda tem, contava-se duas boas "bombas", uma BMW RT1100 e uma Honda CBR900. Há uns meses atrás, no entanto, começou a interessar-se por "senhoras" e pouco antes do Todos a Fátima, com a ajuda de amigos mais entendidos nestas coisas, comprou uma, uma Famel 77. A moto no entanto não o agradou totalmente, e passadas poucas semanas do evento César vendeu-a para a trocar por algo mais exclusivo. Esse algo apareceu-lhe mais recentemente na forma de uma KTM Super Export com motor Sachs em estado razoável e por um preço jeitoso de 500 euros. O problema é que a moto estava em São João da Madeira, a quase 300 kms de Loures, onde César mora. Para muita gente, a solução seria ou ir buscar a moto numa carrinha ou contratar uma transportadora para a trazer para casa mas César teve outra ideia. Meteu-se num autocarro em Lisboa, foi até São João da Madeira, fechou o negócio, e meteu-se pela N1 a fora, em direcção a Odivelas, onde chegou, com a máquina, após seis horas de viagem. "O homem que ma vendeu", diz ele, "Disse-me que eu era maluco e que apesar da moto estar a andar, ela não ia aguentar, mas trazer a moto por estrada foi muito mais divertido, e barato, que trazê-la de outra forma. Fazer estes quilómetros todos numa moto grande pode ser mais confortável, mas fazer nesta "menina" é muito mais divertido".

Sem comentários:

Publicar um comentário