domingo, 15 de janeiro de 2012

A Carmelita que (também) deve ir a Fátima

Como acontece com todas as outras marcas de motos, na Famel há modelos que são mais raros. Dos anos 70 e 80 ainda se consegue descobrir sem grandes dificuldades quase todos os modelos, mas quando começamos a andar para trás, para os anos 50 e 60, as coisas complicam-se. E se alguns dos modelos destas duas décadas ainda aparecem de vez em quando, outros há que parecem extintos, ou quase. A Carmelita, dos anos 60, é um bom exemplo disso. Fabricada no começo dos anos 60, ter-se-ão fabricado no máximo 1000 exemplares da mesma e hoje em dia é capaz de não restarem mais de quatro ou cinco por aí. Uma porém, deu recentemente,á costa. É da região de Lisboa e o seu proprietário, Joaquim Vilela, comprou-a nova em 1962. Usou-a durante anos como meio de transporte mas quando arranjou dinheiro para comprar um carro, deixou-a a descansar na garagem. Ainda a usou algumas vezes mas entretanto foi-a "modernizando" a nível de óptica, banco, suspensão e guarda-lamas. Agora, com a "febre" das 50, ressuscitou-a e está a restaurá-la. "O que eu gostava mesmo", diz ele, "Era tê-la pronta a tempo de ir a Fátima. Vamos ver se consigo". Consegue, Sr Joaquim. A moto até nem está em muito mau estado, e as peças que lhe faltam arranjam-se. Dia 02 de Junho, lá esperamos por si!

Sem comentários:

Publicar um comentário