segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A híbrida do Ribatejo

Cruzamentos de V5s com Xf17 e outras coisas mais comuns vêem-se algumas mas um cruzamento de uma Florett com uma Flandria é certamente bastante mais raro, para não dizer muito raro, mais ainda se esse dito cruzamento já tem 30 anos, e ainda anda. Mas existe pelo menos um, sim e é português. É de Coruche e foi "criado" por Aguiar Vicente de Almeida e pelo seu pai, os quais fizeram no final dos anos 70 a moto para correr em provas de cross na região. Na altura o pai de Aguiar era o agente da Kreidler na região e a moto faria parte da sua estratégia para fazer frente às marcas nacionais que então apostavam no cross como forma de se promoverem. Aguiar ainda terá feito três épocas com ela mas depois a dita foi encostada num palheiro e só saiu de lá quando ele a deu ao seu filho Rui para ele ir nela para a escola. A moto foi então transformada em máquina de estrada mas logo que Rui teve idade e dinheiro para comprar um carro, ela foi novamente encostada. A história poderia acabar aqui, mas não. É que há poucos dias atrás - no que poderá ter sido uma homenagem ao pai entretanto falecido - Rui decidiu tirar o pó à moto, e fez-lhe uma revisão para acompanhar os amigos num passeio informal que teve lugar pelo concelho neste fim de semana. E ao que parece gostou. O que quer dizer que, com um pouco de sorte, vamos vê-la por aí nos próximos tempos. Em passeios na região mas talvez também numa viagem ou outra para mais longe, como quem sabe até ao Todos a Fátima do ano que vem. E para já ficamo-nos por aqui mas se tudo correr bem, numa das próximas edições da SóClássicas vamos voltar a ela e contar mais alguns dos segredos destas suas várias "vidas".

Sem comentários:

Publicar um comentário