quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Foi assim que ele começou

Todas as Motos Clássicas têm artigos que, independentemente do trabalho que dão a preparar, nos dão mais "pica". No caso da próxima revista, que está mesmo a dar entrada na gráfica, e deve estar cá fora na próxima quinta-feira - um desses artigos foi a história de Mike Hailwood como um dos melhores pilotos de todos os tempos. E, apesar dessa vida estar bem documentada - o homem foi realmente fantástico, chegando a ganhar oito provas num dia e a conquistar quase três campeonatos mundiais no mesmo ano - da sua infância e juventude pouco sabíamos. A maior parte das suas biografias começam quando ela tinha 17 anos e correu a sua primeira prova, um troféu internacional de enduro na Escócia. Mas a vida tem destas coisas, e neste caso, o "esta coisa" foi ter-me cruzado este fim de semana com um bife que mora cá neste jardim à beira mar plantado e que também gosta muito de motos. Pois o bife, o inglês vá, estava a mostrar-me a garagem dele quando me deparo com um calendário de 1999 na parede, com uma foto do Hailwood (bem que eu digo que um bom calendário de motos é uma obra de arte, mais que qualquer outra coisa!). Conversa, puxa conversa, vim a saber que ele era grande admirador do dito, e que tinha um livro sobre a sua vida. Foi pelo tal livro - que se chama simplesmente "Mike" e é extremamente exaustivo em detalhes - que descobri a foto do post de hoje. O que ela mostra é Mike na sua primeira moto, uma mini-moto criada pelo seu pai Stan - na qual ele andava nos fins de semana. Na altura Mike tinha apenas 10 ou 11 anos e nem tinha força para apertar os travões da moto e a única maneira que tinha para parar era continuar a andar nela até ficar sem gasolina. É bem possível que esta vivência "forçada" com as motos o tenham ajudado a chegar onde chegou.

Sem comentários:

Publicar um comentário