sábado, 24 de março de 2012

A tal Príncipe

Quando há coisa de dois anos atrás publicámos na revista - no número 24 - um artigo bastante exaustivo sobre as Cruzadores e as Dovers, o dito terminava com um chamada de atenção, a de, embora tivéssemos feito todos os esforços na preparação do artigo para identificar todos os modelos de Cruzador e Dover que houve, era bem possível que pelo menos um ou dois tivesse ficado de fora. Passado pouco tempo da revista ter sido publicada, recebemos um mail a falar no tema e onde nos era referido que, para além das 15 ou 20 Cruzadores e Dover que tínhamos identificado, teria havido pelo menos uma outra, a Cruzador Príncipe. Haveria informações escritas nesse sentido mas não havia conhecimento de nenhum exemplar da mesma "de carne e osso", nem se sabia de qualquer fotografia ou catálogo. O caso parecia condenado a nunca ser totalmente esclarecido mas há poucas semanas atrás, no que parece quase um milagre, apareceu uma, e ainda em estado bastante razoável. A motorizada - com muitas características típicas das Cruzador do final dos anos 50 mas com algumas particularidades, nomeadamente no depósito, malas malas de ferramentas, e guarda-lamas - foi descoberta por João Ferreira e o seu filho Nélson, de Carvalho Benfeito, no concelho das Caldas da Raínha, os quais terão identificado que se tratava duma Príncipe pelas decalcomanias com o nome nas malas de ferramentas, as quais, apesar de gastas e queimadas pelo Sol, ainda eram percéptiveis. A autenticidade dos mesmos, entretanto, já terá sido confirmada pelo colecionador minhoto Filipe Viana, um dos maiores entendidos nacionais em Cruzadores e Dovers, o qual entretanto comprou a moto, passando com isso a ter oito motorizadas nacionais dos anos 50.

1 comentário:

  1. Bom dia
    Eu tenho uma em sirculacao
    So me falta a suspencão original.

    ResponderEliminar