domingo, 30 de janeiro de 2011

As Solex do Paulo


Uma boa parte do artigo de capa da nova Dmc, a qual deve chegar aos assinantes na segunda-feira e às bancas na quarta, deve-se ao Paulo Mota um dos responsáveis pelo entusiasmo cada vez maior que há pela marca Solex em Portugal. Para além de grande apaixonado pela marca, Paulo não se cansa de a promover seja através do Forum amgiosdasolex seja preocupando-se em descobrir tudo o que é novidades -na internet, em revistas, e também em livros - que surja sobre a marca. Tendo acabado de dobrar o cabo dos 50, Paulo começou a andar de Solex no começo dos anos 70, com 13 anos, naS 3800 V1 do irmão. Em 1975, ganhou uma PLI 5000 de presente e apesar de ter chegado a andar nela, o bichinho pela marca francesa só começou a surgir já nos anos 80. Por essa altura Paulo já tinha casado e tinha uma filha pequena e divertia-se a dar umas voltas com a miúda, de Solex! Quando os pais faleceram, nas partilhas com o irmão a S 3800 acabou por se tornar sua e inicialmente estava a pensar desfazê-la para peças, para a PLI 5000, mas depois, com o seu "faro" especial para descobertas sobre tudo o que tenha a ver com Solexs, conseguiu arranjar o que faltava na PLI e decidiu acabar por reaproveitar a S 3800 também. Depois, nunca mais parou. Já comprou uma terceira Solex, um modelo histórico dos anos 50, mas para além das motos, o que lhe dá mesmo prazer, segundo o próprio, é promover a marca e falar com os clubes e mecânicos franceses especializados em Solex. "É um mundo", diz ele. "E há sempre qualquer coisa nova para se descobrir (sobre a marca). Um modelo que não sabíamos que tinha sido fabricado, ou um pequeno detalhe sobre o cárter, a pintura ou outro. E depois há aquela satisfação que é irmos por aí de Solex e as pessoas pararem para nos verem, num misto de interesse e admiração. Isto é uma doença, mas sadia!".

Sem comentários:

Enviar um comentário