sábado, 1 de janeiro de 2011

A cinquentinha que vai deixar a KLT na garagem

Até agora, quando Rui Cândido, um alentejano da aldeia de Santana, no concelho de Portel, queria fazer viagens de moto, tudo o que tinha a fazer era preparar a sua BMW KLT de 1200cc, verificar se ela estava em ordem, e fazer-se à estrada Seja para viagens de umas horas, uns dias, ou umas semanas, Rui não a troca, ou não trocava, por nada. E "não a trocava" porque com a história do Todos a Fátima, começou a combinar, meio na brincadeira, com uma série de amigos das motos grandes irem todos a Fátima em 50s clássicas. A conversa foi andando e o certo é que todos eles já têm uma "senhora" e estão a preparar-se mesmo para ir ao mega-encontro. Rui arranjou uma Yamaha RZ50 de 1991 e se tudo correr bem, é nela que vai. Ainda lhe faltam umas peças (nomeadamente a óptica, a semi-carenagem, e as rodas) e uma pintura à séria, para ela ficar como nova, mas Rui não se mostra preocupado. "Ainda temos seis meses", diz ele, "E até Junho seja cá em Portugal seja lá fora, tenho quase a certeza que vou encontrar o que me falta e ainda conseguir que ela seja pintada. Depois, depois é ir. Há muitos anos que não faço uma viagem numa coisa tão pequenina mas isto faz-me voltar atrás na minha vida quando comecei a andar de moto e ir a Fátima nela é quase como voltar a ter 16 ou 17 anos"!

Sem comentários:

Publicar um comentário