quarta-feira, 2 de junho de 2010

A portuguesa mais rara?

Qualquer clássica digna desse nome tem um certo grau de raridade. Dito isto, porém, nem todas as clássicas são igualmente raras. Há casos em que ainda há centenas, para não dizer milhares de unidades como acontece com as nossas queridas SIS Sachs V5 ou com a Famel Zundapp Xf17. Seja no continente seja nas Regiões Autónomas, não só é possível encontrá-las, como se consegue, com mais ou menos dificuldade, arranjar todo o tipo de peças para elas. Mas nem todas as motos são assim. Há uma ou outra da qual há pouquíssimos exemplares e para a qual é preciso, literalmente, fabricar as mais variadas peças para a podermos restaurar. Neste domínio das raridades, porém, o recorde deve ir para esta motorizada nacional do começo dos anos 50 cujo exemplar da foto - "descoberto" perto de Portalegre - se não é único, andará muito, mas muito, próximo disso. Trata-se de uma Famel equipada de fábrica com um motor Mota e que, tanto quanto se sabe, é exemplar único.
Embora esta versão da Famel não seja totalmente desconhecida - há documentos que atestam o uso deste motor em Fameis a seguir ao Rex e antes do JLO - ter-se-ão produzido muito poucas Famel Mota, ao que tudo indica por a fábrica dos motores, que se pensa ter sido alemã, se ter mantido em actividade durante muito pouco tempo. O mesmo terá sido de tal maneira curto que seja em enciclopédias de clássicas seja na internet, não há praticamente referências aos mesmos.

2 comentários:

  1. Boa noite.

    Depois de visitar o seu blog reparei que esta mota é igual a uma que eu tenho, mas a minha possui motor FAMEL. Mas uma vez que nao tenho a certeza de qual o modelo desta mota, gostava de saber se me podia dizer qual é, e se me sabe indicar onde está o número de quadro destas motas.

    Obrigado joaoabccruz@gmail.com

    ResponderEliminar
  2. Adquiru há poucas semanas uma Famel do ano de 1952 e relativamente muito idêntica a esta aqui apresentada no entanto com motor Sachs

    ResponderEliminar