domingo, 7 de novembro de 2010

Os Vilar Pachanchistas de 54

O tema das Pachanchos é viciante, aliás como tudo ou quase tudo o que tem a ver com "senhoras" e apesar de já ter acabado - por agora - as pesquisas para o artigo sobre as ditas que vai ser o tema de capa da próxima MotoClássica, hoje de manhã, como quem não sabe o que há-de fazer, pus-me a pesquisar na net o que havia sobre a palavra "Pachancho". À primeira vista fiquei surpreendido porque até há páginas e páginas de referências sobre a palavra mas depois, quando fui a ver melhor, fiquei meio desiludido porque 99% do que há tem pouco ou nada a ver com motos. E isto porque a antiga fábrica da Pachancho em Braga deu lugar a um bairro e a esmagadora maioria das referências ao nome "Pachancho" na net referem-se a apartamentos no dito para alugar ou para vender, ou são notícias de jornais sobre as queixas dos moradores do bairro sobre isto e aquilo. Mas, esmiuçando bem no meio daquilo tudo, descobri esta fotografia que vem do blog de um senhor Eduardo Monteiro de Vila do Conde que me parece extremamente interessante. É de 1954 e mostra os agentes da Vilar-Pachancho na altura por ocasião do seu primeiro encontro (naquela época já havia encontros de agentes, pois é), em Braga. Estive a ver as caras uma a uma e as únicas que penso conseguir reconhecer são as dos dois senhores mais ao centro, na fila do meio. O de mais idade, e de óculos, é quase de certeza Ilídio Vilarinho, o fundador da Vilar e o homem que ainda comandava a empresa nessa altura e o outro à sua esquerda, mais novo mas muito parecido com ele, poderia ser seu filho. Fora os dois, e o senhor Eduardo (que possivelmente seria o agente da Vilar Pachancho em Vila do Conde), que será o terceiro na fila do meio, a contar do lado esquerdo da foto, dos outros não faço nem ideia mas é interessante pensar como em 1954 havia tanta gente em Portugal a vender Vilar Pachancho. Mesmo que algumas daquelas pessoas fossem empregados da Vilar e da Pachancho, isto quereria dizer que ainda haveria uns 25 a 30 garagistas em todo o país a vender os ciclomotores da marca. Curiosamente António Peixoto, o fundador e director-geral da Pachancho na época não aparece na foto se bem que o homem forte e careca na primeira fila poderia ser o seu filho Zacarias que lhe viria a suceder quatro anos mais tarde e que no final dos anos 60 se afastou da empresa sendo substituído pelos seus quatro irmãos.

Sem comentários:

Publicar um comentário