segunda-feira, 24 de maio de 2010

Balanço de uma feira


Ainda de ressaca do cansaço que foi a Automobilia de Aveiro que ontem terminou no Centro de Congressos e Exposições de Aveiro - e que aqui para a Dmc só terminou às quatro da manhã de hoje - vale a pena referir o que nos parecem ser as primeiras reacções deste grande evento. E as ditas são que houve duas feiras numa só, foi um chamado "dois em um". Na "feira" das motos-motos, sentiu-se a crise. Sentiu-se o receio das pessoas em gastar milhares de euros na compra disto ou daquilo (apesar de se terem feito algumas vendas interessantes). Em contaste com isto, porém, na "feira" das motorizadas, das scooters e das peças, a situação foi bem diferente, com vários expositores a afirmarem que esta foi a melhor Automobilia de sempre. A razão para este aparente paradoxo? Uma palavra de cinco letras chamada "crise". Comprar motos em tempo de crise, mesmo a preços de ocasião, é mais complicado que gastar, 50, 100, 200 ou mesmo 500 euros num motor disto, num carburador daquilo ou num esqueleto de motorizada que se pode ir restaurando aos poucos. O expositor da foto, de Vila do Conde, é um bom exemplo desta dicotomia: trouxe umas oito motorizadas e vendeu metade delas; 10 motores Kreidler e vendeu sete; cinco da Honda CD50 e vendeu três, e outras. Ao seu lado, um vendedor de motos, só tinha vendido uma máquina!

Sem comentários:

Publicar um comentário