quarta-feira, 5 de maio de 2010

Vespas ao quadrado


Nunca é tarde para se começar a gostar, e a mexer, em motos. Que o diga Paulo Reis, um alhandrense a caminho dos 40, que, até há um ano atrás, nunca se tinha interessado por máquinas de duas rodas. Um dia, porém, de visita a casa de um amigo, viu uma Vespa 50S enferrujada a um canto e não descansou enquanto o amigo não lhe vendeu a dita. Começou a pesquisar na net, comprou livros e revistas, conheceu gente do meio e não só não descansou enquanto não a pós nova como, ainda antes dela ficar operacional, teve que comprar uma outra Vespa para restauro, uma PX125E, que há poucas semanas ficou pronta. "Só a pintura é que foi feita fora", diz ele. "O resto fiz questão de ser eu a fazer. Deu trabalho porque não percebia nada disto mas tá feito, e estou muito satisfeito com elas".

Sem comentários:

Publicar um comentário